15/06/2008

DVD: O Gângster

DVD: O Gângster


Uma história poderosa (sobre a ascensão e queda de Frank Lucas, um dos maiores traficantes da história dos EUA), um diretor competente (Ridley Scott, de filmes tão diversos quanto Alien – O Oitavo Passageiro, Thelma & Louise e Gladiador) e dois protagonistas vencedores do Oscar, Russell Crowe e Denzel Washington. Com tantos grandes nomes envolvidos, havia chances iguais de O Gângster (American Gangster, 2007) ser tanto um filmaço quanto uma bomba movida a egos inflados. Felizmente, os melhores prognósticos se confirmam e o filme foi eleito, com justiça, um dos melhores do ano passado (apesar de não ter recebido indicação ao Oscar principal).

Por 15 anos, Frank Lucas (Washington) havia sido motorista de um subchefe do tráfico em Nova York. Com a morte deste, Frank viu a chance de entrar no negócio, com uma diferença que fará toda a diferença: ao trazer heroína do Vietnam sem intermediários (aliciando militares para transportá-la) e vendê-la pura e por um preço bem mais baixo (que, ainda assim, permite um lucro fantástico), Lucas estabeleceu um virtual monopólio que, claro, incomodou a muita gente.

No outro extremo da história, está o policial Richie Roberts (Crowe), honesto até a medula e, justamente por isso, isolado e mal-visto. Quando o problema do abuso de drogas começa a tomar proporções alarmantes (claro, para aquela época, fim da década de 60), o governo inicia o projeto de uma agência federal e Roberts é logo chamado. Contando com a ajuda de meia dúzia de agentes, ele vai obtendo informações que o levam ao topo da cadeia do tráfico. Entretanto, Lucas é discreto e difícil de alcançar – até que um pequeno descuido, cometido em nome do amor, abre caminho para que Roberts parta em seu encalço.

O melhor do filme é que praticamente não existe, como seria de se esperar, um “duelo” de interpretações. Crowe e Washington têm apenas uma cena juntos, brilhando individualmente e igualmente em momentos distintos do filme. A idoneidade inabalável e a paciência investigativa do personagem de Crowe são especialmente atraentes para nós, acostumados à truculência das tropas de elite da vida (apesar do banho de sangue inevitável em qualquer filme de gângster), assim como a simpatia magnética do bandido interpretado por Washington nos lembra do óbvio: mesmo vestidos de cordeiros e exalando boas intenções, lobos continuam sendo predadores perigosos.

O DVD traz uma versão estendida, com 18 minutos de cenas inéditas e um final diferente. Dispensei o luxo e fui direto ao tal final alternativo, apenas para ter certeza de que a melhor opção foi a mostrada nos cinemas. A linha que separa os bons dos maus já anda demasiadamente borrada para ainda termos que aturar cenas de camaradagem entre eles. Nota 10.