01/08/2015

Lições para guardar no coração


Mais do que simplesmente apresentar novas e interessantes visões sobre os personagens de Maurício de Sousa, a linha Graphic MSP cumpre um nobre propósito: o de tornar conhecidos pelo grande público talentosos artistas nacionais que, possivelmente, não ficariam tão populares sem a "grife Maurício" dando apoio. O projeto do editor Sidney Gusman é um sucesso imenso e todos os envolvidos (inclusive os leitores) agradecem.

Entre os oito álbuns já publicados na série, destacam-se os dois produzidos pelos irmãos Vitor e Lu Cafaggi. Embora todas as Graphic MSP sejam dignas de uma leitura atenta, os Cafaggi encontraram o mais preciso equilíbrio entre qualidade de texto e senso de entretenimento, aliados à belíssima arte a quatro mãos, que combina nostalgia, ternura e dinamismo. Foi assim naquele que era, até hoje, o melhor dos álbuns da série, Turma da Mônica: Laços (2013). A "magia" é repetida e amplificada neste novo e impecável volume, Turma da Mônica: Lições.

Em seu primeiro ano do ensino fundamental, Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali aprendem que as coisas, agora, são bem diferentes de como eram até a pré-escola. Dever de casa agora é coisa séria e o ponto de partida da história é justamente o dia em que os garotos esquecem de fazer um trabalho importante. Para escapar do "carão" da professora, Cebolinha convence os amigos a fugir da escola naquele dia. Durante a execução do plano, porém, um pequeno acidente desencadeia uma série de problemas e mudanças para a turminha. Falar aqui dos desdobramentos, por mais cuidado que se tome, seria dar spoilers, tamanha é a capacidade de surpreender do roteiro.

Basta saber que os garotos têm sua coragem, sua inteligência e sua amizade testadas, além do primeiro contato pra valer com a violência. Mesmo sem detalhes chocantes, as cenas de bullying devem fazer badalar alguns sinos na cabeça de quem já sofreu com a inexplicável agressividade de um colega de escola. Nos extras, os irmãos dizem que um dos valentões é inspirado em um famoso vilão da cultura pop, sem revelar quem. Eu aposto em Biff Tannen, o inimigo de Marty McFly na trilogia cinematográfica De Volta Para o Futuro.

Vitor e Lu Cafaggi (foto de Denilton Dias)


Se a arte dos irmãos é certeira e digna de aplausos, elogio igual pode ser feito aos ótimos diálogos da turma e às intervenções da diretora da escola e dos pais dos meninos. O pai de Cascão, por exemplo, protagoniza uma esperta piada visual, dessas que deixam a gente rindo por dentro um tempão depois.

Apesar de entremeada com discussões mais endereçadas a adultos que a crianças, Lições pode ser curtida pela gurizada sem qualquer temor. Entender que, apesar de toda a evolução social e das mudanças de costumes, a infância é uma fase com características em comum a qualquer geração, é um dos méritos do texto de Vitor e Lu. Os dramas da turma são vividos diariamente por crianças do país inteiro (inclusive decisões drásticas, tomadas por pais que optam pela solução mais rápida, mesmo não sendo a melhor). Falar à memória afetiva de crianças de todas as idades (sic) sempre foi um dos trunfos das criações de Maurício e os irmãos Cafaggi sabem ganhar neste jogo como poucos.

Seguindo neste rumo, com este patamar de qualidade, a Maurício de Sousa Produções pode firmar-se como uma espécie de "Pixar das HQs nos Trópicos": uma indústria com produtos capazes de entreter a gurizada e, ao mesmo tempo, amolecer o coração embrutecido dos adultos, com humor e inteligência acima da média. Adaptada em uma caprichada animação (digamos, pela própria Pixar), teria potencial para revolucionar o gênero e estourar a bilheteria em toda parte, exceto se o Ragnarok acontecesse antes.

Séria candidata a melhor HQ que li este ano, Turma da Mônica: Lições é um livro pra guardar num lugar caprichado da estante e exibir com orgulho. Pra quem gostou até aqui, trago três ótimas notícias sobre a linha Graphic MSP. A primeira é que novas edições estão a caminho, sendo as próximas protagonizadas pela Turma da Mata (Jotalhão, Coelho Caolho, Sr. Raposo...) e por Papa-Capim. A segunda é que uma terceira fornada de novos títulos já está programada para o ano que vem! A terceira é que a Panini Comics anunciou reimpressões das edições anteriores - olho nas livrarias!

2 comentários:

Gerlande Diogo disse...

Já encomendei, só tô esperando chegar. :)

Do Vale disse...

Os irmãos conseguiram superar Laços e fizeram a que, pra mim, é a melhor Graphic MSP. História inteligente, cada personagem tem seu espaço, os desenhos tão impecáveis, e não cai no final fácil ou apressado, como as do Astronauta e a do Piteco.
E olhaí, legal essa analogia com a Pixar, essa linha renderia boas animações.