10/11/2015

Fim da infância (com direito a presente)


Inspirado na origem de Kal-El, contada por Grant Morrison em uma só página de Grandes Astros: Superman, vai aqui uma breve história dos 10 primeiros anos do Catapop:

Até 10 de novembro de 2005, eu tinha um blog chamado Gotham City e o gaúcho Fábio Chang tinha outro, chamado Mestre Chang. A gente fechou nossos blogs e abriu o CATAPOP. Em 2008, eu decidi administrar o blog sozinho e, desde então, assim tem sido. No começo, a gente passava facilmente das 150 postagens anuais. Hoje, estou suando pra terminar 2015 com 20 artigos. Apesar disso, você ainda estão aqui comigo e isso conta muito! :-)

É engraçado, também, pensar em minha própria história, de dez anos pra cá. Em 2005, eu estava voltando à Bahia, após quase uma década vivendo em Goiás. Nem achei que fosse "enterrar umbigo" em Alagoinhas, mas eis que fiquei e, por enquanto, não tenho planos de arredar pé daqui.

Em 2005, eu comprava OITO revistas mensais da DC e da Marvel, quatro de cada. Hoje, só Batman e Liga da Justiça (e olhe lá!). Naquele ano, a Panini ainda tinha a má fama de "Editora Nº 1", por sua mania de iniciar coleções e encerrá-las logo após o primeiro volume (Liga da Justiça por Grant Morrison, Batman por Neal Adams, Starman por James Robinson, alguém?). Hoje, a editora publica uma variedade absurda de encadernados do começo ao fim e já nos entregou as versões integrais de diversas séries importantes (mas não dessas mencionadas acima - estamos de olho!).

Dez anos atrás, eu era um "magro gordo": um sedentário de corpo esguio, mas flácido. Jamais abandonei o pop e o rock, mas ainda era chegado em axé music (embora esse affair já estivesse perto do fim) e bom de copo no matter what.  Hoje em dia, não tolero música baiana (uma coisa morta, embora ainda faça tanto barulho) e virei adepto de uma rotina mais saudável, que inclui atividade física constante e quantidades bem menores de álcool. Nem a embriaguez nem a ressaca me parecem mais tão sedutoras.

Nos primeiros anos do Catapop, eu escrevi um bocado de artigos que, hoje, me matariam de vergonha. Sério, eu não consigo acreditar que disse certas coisas  (por que você acha que eu decidi fechar o conteúdo mais antigo?). Me diziam que eu escrevia melhor de mau humor e acabei comprando a ideia. Sob o pretexto de estar sendo engraçado, porém, fui deselegante, preconceituoso e reacionário em diversos momentos. Quero acreditar que não abracei o politicamente correto, apenas aprendi a distinguir melhor entre o que pode e o que precisa ser dito (a idade faz isso com a gente). Aos que porventura se ofenderam, minhas desculpas. Aos que me ajudaram a melhorar, meus agradecimentos.

Em 2005, eu não dava presente pros meus leitores. Em 2015, isso já está acontecendo pela quinta vez! Quem disse que as coisas aqui não mudaram pra melhor? Boa parte de vocês é um bando de interesseiros, que só me dão o gostinho de um comentário quando eu sorteio uma HQ lindona, mas eu não os amo menos por isso - apenas fico me perguntando se a contrapartida é sempre igualmente generosa. Entendam, isso não quer dizer que não vou sortear mais nada... mas, a partir de agora, vocês terão que merecer. Como dizemos aqui no Nordeste, eu tô ficando é velho, não besta!

Assim sendo, tenho a satisfação de anunciar que o ganhador de um exemplar novinho em folha de Batman: O Filho do Demônio é LUÍS DO VALE, de São Luís, MA.

Concorreram: Luís do Vale, Alexandre Melo, Gerlande Diogo, Fabiano Belchior, Luís Gustavo (Luwig) de Sá, José Rabelo, Thiago Messias (The Messiah), Rodrigo Bertuol (Caesius Maximus), Reginaldo Yeoman, Fernando Ishiruji, Rodrigo Valverde, Alberto Silva e Djaman Barbosa.

Bem, isto é tudo, por enquanto. Prontos para mais 10 anos? ;-)

Para o alto e... CATAPOP!

8 comentários:

Caesius Maximus disse...

O seu durou, merecidamente, 10 anos. Eu comecei o "Era Dourada" em 2003, o blog que me fez descobrir seu "Gotham City", sendo substituído pelo "Buraco Negro" em 2006 (acho). Naquele tempo, acabei fazendo parte de uma corrente de blogueiros que foram abandonando seus blogs. Por mais que eu goste de escrever, acabou que as circunstâncias me impediram de manter qualquer blog em atividade considerável. Hoje, bem de vez em quando, escrevo algumas linhas no Caesius Maximus. Disso tudo, posso me considerar um privilegiado. O dono dessa bagaça aqui é o único amigo distante, em termos reais, que mantenho desse universo iniciado há mais de uma década. E me sinto privilegiado, principalmente, porque pude acompanhar o amadurecimento dos textos e, ainda que não concorde com o sumiço do material "envergonhativo", não tenciono abandonar a leitura do Catapop tão cedo. Que venham mais dez anos!

Caesius Maximus disse...

Ah, sim! E parabéns ao sortudo que levou O Filho do Demônio pra casa. :D

Do Vale disse...

RAPAZ, nunca ganhei UM sorteio na vida e veja só...

Porra, Marlo, me vi em vários pontos das mudanças que tu relatou, desde os hábitos de saúde aos de leitura.

E é MASSA ver que o blog ainda tá no ar. Não tenho certeza se foi em 2005 ou 2006, mas na mesma época tive contato com o Catapop, The Pulse, Black Zombie, Blogzine, Vertigem HQ, Alcofa Millenium, Rapadura Açucarada... Fora meus primos, não conhecia gente tão entendida de quadrinhos e cinema, então vocês foram meio que nossos GUIAS.

E eu agradeço por isso, e desejo que o Catapop viva por mais 10 ou anos, por que não?? Vou tá sempre aqui ou pelo whatsapp o/

fabinho_fitness disse...

Parabéns ao Catapop pelos seus 10 anos de existência e contribuição para com a galera amante dos HQs, filmes, séries e uma leitura inteligente e madura. Sempre passo por aqui para dar uma lida naquele review dos filmes que não assisti, e das informações contidas nesse blog.
Parabéns e que venham mais 10 anos ;-) :-)

Gerlande Diogo disse...

Parabéns ao Catapop, Marlão é o cara. Ainda bem q quem ganhou Batman: O Filho do Demônio, foi o Luís do Vale, pois como eu já tinha dito antes, já tenho essa HQ.
Vida longa ao blog!

doggma disse...

E aí, Marlo! Parabéns pelos dez anos do Catapop. É uma vida. Legal ler esse resumo, mesmo que breve, e conhecer um pouco mais dessa história.

Sobre ter reservas quanto ao conteúdo antigo, é normal. Crescemos, evoluímos e é isso aí. Eu deixo meus esqueletos bem na porta da frente. Talvez um dia você repense essa decisão, quem sabe.

Abraço!

Ps: mas caso não, tenho sua permissão pra dar uma fuçada no velho Catapop via Internet Archive? rs

TheQuedolaomer disse...

Que fim levou o Mestre Chang?

Marlo de Sousa disse...

CAESIUS MAXIMUS, vulgo Luthor Bertuol, eu não me lembrava que você mantinha um blog com seu codinome. Preciso ver o que anda escorrendo de dentro dessa cabeça pelada. Repito a você a sugestão que sempre me fazem: escreva! Seus conhecimentos forenses não ajudariam em algum tipo de ficção? Aposto que sim. Obrigado pela audiência contínua, sua cadeira já é cativa.

DO VALE, meu velho, acredite quando digo que fiquei superfeliz quando abri aquele papelzinho e vi que era seu nome escrito nele! Brincando, brincando, você, o Bertuol e outros já são amigos meus há mais de uma década. Espero poder fazer tirar essa amizade do campo virtual, como recentemente aconteceu com o Luwig, de Campina Grande. Aproveite a leitura de seu livro e saiba que está feito o convite para você escrever seu próprio review e tê-lo publicá-lo aqui.

FABINHO_FITNESS, fico feliz que esteja gostando do Catapop. Apesar de ser novo como frequentador do meu blog, já é de casa, em mais de um sentido. :)

GERLANDE, como eu disse antes, se você tivesse sido o ganhador, seria sua chance de fazer algo que sempre faço: formar um novo leitor. Um presente desse botaria sua moral nas alturas, pode crer! Continue com o Catapop.

DOGGMA, obrigado pelas visitas e pelos elogios. A propósito, precisamos chacoalhar Os Escapistas, hein? Sobre o conteúdo fechado, não se preocupe: seguindo uma antiga sugestão de leitores, farei uma espécie de "vale a pena ler de novo" de alguns posts. Clássicos do Catapop, The Very Best of Catapop... Pensar num nome é que será o desafio, mas a brincadeira deve começar em breve.

THEQUEDOLAOMER, não sei o destino do Mestre Chang. Ainda que não tenhamos brigado, tampouco mantivemos contato. Cada um foi pro seu lado e a vida seguiu. Acontece. Ele deve estar bem, desencavando mistérios por aí, como o grande historiador que era. Obrigado pela visita, sempre bom ter gente nova por aqui.

Abraços a todos!