02/02/2016

Pequeno Dicionário Idiossincrático, Parte 1


A
AUTOMÓVEIS - Eu não dirijo ainda. Coloquei a CNH como uma de minhas metas para 2016. Não é por nada, eu apenas não gostaria de precisar aprender, mas a sociedade faz parecer que você é menos gente quando não dirige. Se dinheiro não fosse problema, meu carro poderia ser qualquer um, desde que viesse com chofer. Uma paixão típica dos brasileiros que jamais ecoou no meu peito.

C
CRIANÇAS - Eu não tenho filhos e está muito bom assim, sendo tio e padrinho para os filhos de meus irmãos e de amigos. Meu trabalho como professor me põe em constante contato com crianças e, embora eu tenha certa impaciência com prodígios infantis ou crianças que se comportam feito mini-adultos, até que gosto delas. Não sei, então, por que é que toda vez que sonho sendo assaltado, são crianças que me atacam, os piores pesadelos que tenho.

L
LOUCOS - Eu sei que é uma bobagem de minha parte, mas tenho PAVOR de doentes mentais, desses que andam maltrapilhos pelas ruas, dialogando sem parar com algum interlocutor imaginário. É verdade que eles são, quase sempre, inofensivos e deveriam inspirar pena, em vez de medo; mas, entenda, eu também tenho medo de gente aparentemente normal que faz a mesma coisa - e, olha, muita gente faz.

M
MORTE - Eu não tenho medo de morrer, mas tenho medo da dor, por isso me apavora a ideia de uma morte violenta. Atropelamento está no topo da lista, é uma verdadeira paúra. Tenho medo de cair de algum lugar muito alto e morrer, mas meu medo de altura é algo que gosto de desafiar - por exemplo, adoro montanha-russa e outros brinquedos tensos, que envolvem altura e velocidade. Vai entender.

P
PEDESTRES - Eu tenho a firme convicção de que muita gente sai à rua apenas para me atrapalhar. É gente que está andando à minha frente e vem tombando para meu lado; gente que se aglomera pra conversar justamente onde a passagem é mais estreita; que anda em bando e forma uma "parede", tomando toda a calçada; que sai de onde está e para bem no meu caminho, quando estou passando, feito um totem de imbecilidade. Fiquem mais em casa, por favor. O mundo é pequeno demais e seu cotovelo está cutucando minha costela.

2 comentários:

Alexandre Melo disse...

Identifiquei-me com A e M, poderia ser também com C e L, mas me estranho com pessoas, não importa idade, sendo todas meio loucas no meio conceito
Não se esqueça (e dando mais motivo pra pensar nos seus momentos de solipsismo), que as letras K,W e Y foram oficialmente incluídos no abecedário brasileiro, te vira aí pra não esquecê-las nas próximas amostras do Marlocionário.
He! E deixar desafio de montar um acróstico com os verbetes.

Gerlande Diogo disse...

Em relação aos automóveis, Marlo é meu irmão gêmeo. O que vc falou é a minha cara. Se brasileiro é apaixonado por carros, eu sou nigeriano.