23/03/2016

Pequeno Dicionário Idiossincrático, Parte 2


A
Acidentes - Marcone, meu irmão do meio, já quebrou o mesmo braço duas vezes e quase virou tira-gosto de leão de circo. Na infância, novidade era o dia em que ele não aparecia arrebentado de algum jeito. Já eu, o rei da prudência (ou seja, um adolescente bundão), cometi apenas a proeza de quebrar a clavícula numa ridícula trombada de bicicleta. Alguém normal se aproveitaria da situação e ficaria ainda mais dengoso, mas eu... Bom, eu fiz bem isso, mesmo.

C
Cerveja - Minha atual rotina de "rato de academia" não combina com bebedeira, mas este não é o único motivo para eu estar bebendo cada vez menos. Eu, simplesmente, não gosto mais da sensação de embriaguez e, menos ainda, de ter ressaca. É verdade que dá pra beber sem ter ressaca e eu até já aprendi uns macetes, mas, hoje em dia, odeio estar fora do controle. Ainda tomo umas, mas minha "linha de chegada", que antes era de maratonista, agora corresponde ao trajeto de comprar pão.

E
Erudição - Acho importante possuir uma boa cultura geral. Pode ser que isso não ajude você a ganhar mais dinheiro ou a transar (se você quer mesmo saber, ajuda, sim), mas sentir-se excluído de uma conversa é muito ruim. Não precisa ser erudito (e eu não sou). Saber um pouco sobre muitas coisas é melhor do que saber tudo sobre uma coisa só. Por exemplo: em uma aula, se faço uma pergunta sobre datas, lugares ou nomes históricos, geralmente ouço réplicas do tipo, "Pra que eu preciso saber disso?". No entanto, quando falo desses assuntos, as mesmas pessoas perguntam: "Poxa, como é que você sabe tudo isso? Queria ser assim!". Vai entender.

P
Plantas - Acho lindo quando alguém sabe cuidar de plantas e enche a casa de verde. Infelizmente, acho que só terei "dedo verde" se contrair alguma doença hepática. Não tenho paciência, disciplina ou disponibilidade para memorizar quais plantas podem ou não tomar sol, em quais horários, se é pra regar muito ou pouco, podar, limpar folha, trocar vaso... Na dúvida, não deixe aquela sua orquídea premiada sob meus cuidados.

S
Sexo - Acho que sou um alienígena quando o assunto é sexo. Não vejo graça nessa coisa de "apimentar a relação", porque meu pinto não é acarajé. Todos esses artifícios que as pessoas costumam usar pra "esquentar as coisas" costumam me dar apenas tédio e vergonha alheia. Máscara, chicote, fantasias, óleos, velas... Porra, sexo é instinto, o bom nessa hora é o cheiro do corpo (desde que a devida atenção seja dada à higiene corporal, claro). Sou caretaço: dois é ótimo, três já é multidão. Aprecio bastante o conforto de uma boa cama, também. Mas, não, a criatura quer transar num cavalo branco (oi?)! Quer uma posição acrobática! Quer passar leite condensado no meu pinto! Quer cagar no meu peito! Ôxe, sai pra lá, diabo!

7 comentários:

Gerlande Diogo disse...

Kkkkkkkkk, o adsunto "sexo" foi ótimo. Tb tenho a mesmíssima opinião. Na hora do sexo nada de bisonhices

Alexandre Melo disse...

Guardo pra outra hora fazer referência à brincadeira de que na Bahia, se não quer apimentado não adianta avisar, o certo é nem pedir acarajé. Melhor lembrar a frase do gênio Millôr que sentenciou que a mais louca das taras sexuais é a abstinência.

E devo supor que na letra C, no dicionário Marlo atualizado com novo acordo ortográfico, o verbete que aparece em destaque é CAFÉ?

fabinho_fitness disse...

Grande Marlo, sempre irreverente na sua eloquência.
Curti muito as letras A, C e S.
Na A, eu era bem parecido com você, na C, eu não sei direito, pois só fiquei bêbado nos meus 30 e alguma coisa, e por influência. Hehehe!!! E já na S, concordo, se a relação não está mais apimentada a dois, melhor largar o osso e partir pra outra, e não adicionar mais ingrediente na receita já perdida. :-)

fabinho_fitness disse...

Grande Marlo, sempre irreverente na sua eloquência.
Curti muito as letras A, C e S.
Na A, eu era bem parecido com você, na C, eu não sei direito, pois só fiquei bêbado nos meus 30 e alguma coisa, e por influência. Hehehe!!! E já na S, concordo, se a relação não está mais apimentada a dois, melhor largar o osso e partir pra outra, e não adicionar mais ingrediente na receita já perdida. :-)

Léo Araújo disse...

Essa C aí me contemplou. Não aguento mais do que quatro copos. Fico agoniado, sei lá. Não rola como antigamente. Tô bem melhor hoje.

Emanuela disse...

Rindo litros com o S!

Do Vale disse...

Já até conversamos desse lance da bebedeira... Também não consigo mais "ficar louco", quando sinto que tô indo pra esse caminho já penso na agonia que vai ser o dia seguinte.

E ABAIXO CAGADAS NO PEITO! Ou não.